Eleições

Ibope: Dilma sobe 3 pontos nas intenções de voto, para 40%; Aécio e Campos também avançam

A candidata do PT passou de 40% de intenção de voto para 37% da pesquisa anterior, enquanto Aécio passou para 20% e Campos, para 6%; rejeição à Dilma se mantém, mas de Aécio e Campos caem fortemente

SÃO PAULO – A nova pesquisa eleitoral Ibope apontou um aumento na intenção de votos dos três principais candidatos à presidência, conforme divulgado pelo jornal O Estado de S. Paulo no início da tarde desta quinta-feira (22). A presidente Dilma Rousseff (PT) mostrou recuperação após os programas partidários, mas seus adversários diretos cresceram mais, elevando as chances de que ocorra um segundo turno. 

 A presidente Dilma passou para 40% de intenção de voto de 37% da pesquisa anterior, uma alta de 3 pontos percentuais. Já Aécio Neves aparece com 20%, ante 14% da consulta anterior, enquanto Eduardo Campos (PSB) passou de 6% para em torno de 11%, alta de 5 pontos percentuais. 

Além da propaganda eleitoral do PT – que começou a exibir na televisão a polêmica peça publicitária com o mote “O Brasil não quer voltar atrás” e que exaltou o “risco da volta dos fantasmas do passado” – a pesquisa também capturou os efeitos do programa de 10 minutos do PSDB, no dia 17 de abril. 

PUBLICIDADE

Em meio à propaganda partidária mais forte, o percentual de quem votará em branco, nulo ou não sabia responder despencou entre as pesquisas de abril e maio, passando de 37% para 24%. Com isso, voltou-se ao patamar histórico esperado para a época de campanha. Num eventual segundo turno com Aécio, Dilma teria 43% das intenções de voto, enquanto o tucano teria 24% das intenções de voto. Já em uma disputa com Campos, a atual presidente teria 42% das intenções de voto, enquanto o pernambucano teria 22%. 

Dilma se recuperou mais na faixa do eleitorado com renda superior a 5 salários mínimos, passando de 26% para 38% das intenções de voto, enquanto Aécio oscilou um ponto para baixo, de 26% para 25%. A presidente tem pior desempenho entre 2 a 5 salários mínimos, com 35% afirmando que pretendem votar na presidente. Já até 1 salário mínimo, Dilma tem o melhor desempenho, com 56% dos eleitores declarando voto na petista. Dilma vai pior no Sudeste (33%) e tem melhor desempenho no Nordeste (51%).

Por outro lado, apesar de aumentar a taxa de intenção de votos, a atual presidente não conseguiu reduzir a parcela de quem não admite votar nela de jeito nenhum, ficando estável em 33%. Enquanto isso, tanto Aécio quanto Campos tiveram forte queda na taxa de rejeição: o candidato do PSDB passou de 25% para 20% e o do PSB, de 21% para 13%. A pesquisa ouviu 2.002 eleitores em 140 municípios. 

Avaliação do governo
Com relação à avaliação do governo, um em cada três eleitores considera o governo Dilma Rousseff ruim ou péssimo, primeira vez desde o início do mandato que o índice supera o total de entrevistados que avaliam a gestão como regular – 33% a 30%. Os que consideram o governo bom/ótimo somam 35%. 

A pior avaliação de Dilma está entre os eleitores mais jovens, de 16 a 24 anos, enquanto o governo vai melhor entre os eleitores acima de 55 anos e entre os que estudaram até a 4ª série do ensino fundamental.  Entre os que consideram a gestão ruim ou péssima, 59% declaram voto em Aécio Neves e 48% em Eduardo Campos.