Condolências a Lula

Hostilizado ao visitar Lula no hospital, Temer recebe conselhos do ex-presidente sobre o governo

Diversos políticos passaram pelo hospital para prestar condolências a Lula

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O presidente da República, Michel Temer, chegou por volta das 22h40 horas de ontem (2) ao Hospital Sírio-Libanês,em São Paulo, para prestar condolências por Marisa Letícia Lula da Silva, esposa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Segundo o hospital, exame feito na manhã de quinta mostrou que a ex-primeira-dama não tinha mais fluxo cerebral. Temer chegou em uma van e entrou pela porta principal do hospital. O presidente não falou com a imprensa.

Temer entrou pela porta principal e foi hostilizado por cerca de dez simpatizantes petistas. Eles o chamaram, aos gritos, de “assassino” e “golpista”. Temer sorriu e não respondeu aos ataques.

No veículo estavam, além de Temer, o presidente do Senado, Eunício Oliveira, os senadores Renan Calheiros, Edson Lobão e Cássio Cunha Lima, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, o ministro das Relações Exteriores, José Serra, o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco; e o ex-presidente do Senado, José Sarney. Eles foram recepcionados pelos médicos Roberto Kalil e Raul Cutait.

PUBLICIDADE

De acordo com informações do blog de Josias de Souza, do UOL, Lula agradeceu a solidariedade e, mesmo em meio à tristeza, distribuiu conselhos ao presidente. “Não se faz reforma da Previdência com o país em recessão”. Além disso, teria se queixado do Supremo Tribunal Federal: “Está acovardado”. Além disso, abriu uma possibilidade para o diálogo: “Michel, quando quiser conversar comigo, me chame. Não posso é ficar me oferecendo.” E Temer teria respondido: “Ah, com essa abertura, vou chamar muitas vezes.”

Antes de Temer, diversos políticos estiveram no hospital para expressar pesar por Marisa Letícia, como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o ex-ministro Aloizio Mercadante, e o senador Jorge Viana (PT). “Numa hora dessa a gente sente na pele o quanto que é duro essa vida, o quanto que é difícil. Viemos aqui prestar solidariedade ao [ex] presidente [Lula], chorar junto com ele, sofrer junto com ele”, disse Viana.

Também estiveram com o ex-presidente Lula no decorrer do dia o vereador de São Paulo, Eduardo Suplicy (PT); o ex-ministro da Saúde, Alexandre Padilha; o ex-ministro Gilberto Carvalho; os senadores do PT Gleisi Hoffmann (PR), José Pimentel (CE), e Lindberg Farias (RJ); e as deputadas federais Maria do Rosário (PT-RS), Jandira Feghali (PCdoB-RJ), e o teólogo Leonardo Boff.

Segundo o Hospital Sírio-Libanês, exame feito ontem mostrou que Marisa Letícia não tinha mais fluxo cerebral. “Diante do resultado, com autorização da família, foram iniciados procedimentos para doação de órgãos”, diz o último boletim divulgado.

(Com Agência Brasil)