AO VIVO Como interpretar os gráficos através da análise técnica, começando do zero

Como interpretar os gráficos através da análise técnica, começando do zero

Nelson Mandela

Hospitalizado, Mandela completa 95 anos, mas África do Sul faz festa para ele

Ex-presidente está internado em Pretória desde 8 de junho, devido a complicações de uma infecção pulmonar

Aprenda a investir na bolsa

BRASÍLIA – O ex-presidente da África do Sul e Prêmio Nobel da Paz de 1993 Nelson Mandela faz nesta quinta-feira (18) 95 anos. Mandela comemora seu aniversário internado em um hospital em Pretória, desde 8 de junho, devido a complicações causadas por uma infecção pulmonar. Porém, o governo sul-africano programou série de atividades para celebrar a data denominada Dia de Mandela – data definida em 2010 em homenagem ao líder pelas Nações Unidas.

Símbolo de luta contra o apartheid (o regime de segregação racial da África do Sul), Mandela é apontado como herói nacional. Por iniciativa do governo sul-africano, cada cidadão do mundo é convidado a dedicar simbolicamente 67 minutos do seu tempo à serviço da coletividade em homenagem a Mandela e seus esforços, há 67 anos, pela igualdade racial.

Em várias cidades da África do Sul, voluntários vão pintar escolas, crianças vão cantar “Feliz Aniversário” e os políticos participarão de atividades de caridade ao longo do dia. Nos últimos dias, parentes de Mandela dizem que ele está melhor e respondendo ao tratamento médico.

Aprenda a investir na bolsa

A mulher do líder, Graça Machel, disse na última quarta-feira (17) estar “um pouco menos ansiosa”. “Espero que, mesmo se ele não puder aproveitar seu 95º aniversário, que esteja bem para seu 96º”, disse George Bizos, advogado e amigo de Mandela.

Mandela, que permaneceu 27 anos na prisão pelo regime segregacionista do apartheid, foi libertado sem uma palavra de vingança. Libertado em 1990, negociou com o poder uma transição pacífica para a democracia. Eleito presidente, em 1994, ele demonstrou dispensar o mesmo tratamento para negros e brancos no país.

“Nunca na história da humanidade alguém foi reconhecido universalmente ainda em vida como a encarnação da magnanimidade e da reconciliação”, disse o ex-arcebispo anglicano e primeiro negro a assumir o posto na África do Sul Desmond Tutu, também Prêmio Nobel da Paz de 1984 referindo-se a Mandela por seus esforços contra a segregação racial.