Dobrando a aposta

Herdeira se diz perseguida pela Justiça e dobra doação a Lula para R$ 1 milhão

De acordo com ela, a decisão de suspender a doação é mais um capítulo na perseguição da Justiça ao petista

SÃO PAULO – Na manhã desta quinta-feira, a Folha de S. Paulo informou a decisão da Justiça  para que Roberta Luchsinger pague uma dívida cobrada dela judicialmente por uma loja de decoração antes de fazer uma doação ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A herdeira do bilionário suíço Peter Paul Arnold Luchsinger, morto em julho, havia anunciado a doação de R$ 500 mil para o petista após o bloqueio de quase R$ 10 milhões em planos de previdência e contas bancárias por ordem do juiz Sérgio Moro. 

Já na tarde desta quinta-feira, em resposta, Roberta Luchsinger anunciou que irá dobrar o valor da doação ao ex-presidente para R$ 1 milhão. “Vou incluir uma caixa de joias e outros bens”, afirmou a herdeira à Folha de S. Paulo. Sobre a decisão do juiz Felipe Albertini Nani Viaro, da 26ª Vara Cível, que a impede de entregar a “Bolsa Lula” até a quitação da divida em execução judicial com a empresa de decoração. Roberta alegou “perseguição”. E continuou: “meus advogados vão provar que também estou processando a empresa.”

De acordo com ela, a decisão de suspender a doação é mais um capítulo na perseguição da Justiça ao petista. “Interpreto como é proibido doar ao Lula. Qual é a próxima proibição? É proibido o Lula ser ministro, é proibido Lula ser presidente em 2018.”

PUBLICIDADE

Ela ainda disse não temer que a decisão judicial desfavorável prejudique o movimento de socorro financeiro ao petista e cita como exemplo de engajamento o caso de sua filha, Guilhermina, 5, fruto do casamento com Protógenes Queiroz. “Minha caçula vai doar o iPad dela para os netos do Lula, que tiveram os tabletes apreendidos durante uma operação da Polícia Federal na casa do ex-presidente”, diz Roberta.