Haddad prevê para outubro decisão do G20 sobre reformulação de bancos multilaterais

Ministro da Fazenda discursou durante reunião de ministros de Finanças e presidentes de Bancos Centrais do G20, em Washington, nos Estados Unidos

Equipe InfoMoney

Fernando Haddad (PT), ministro da Fazenda (Foto: Diogo Zacarias/Ministério da Fazenda)
Fernando Haddad (PT), ministro da Fazenda (Foto: Diogo Zacarias/Ministério da Fazenda)

Publicidade

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad (PT), defendeu, nesta quinta-feira (18), uma reformulação da governança de bancos multilaterais para ampliar representatividade de países em desenvolvimento. Ele ressaltou que propostas sobre o tema serão levadas à deliberação de ministros do G20 em outubro.

Em discurso durante reunião de ministros de Finanças e presidentes de Bancos Centrais do G20, em Washington, nos Estados Unidos, Haddad afirmou que o grupo está avançando em discussões sobre aumento de capital e um mecanismo de revisão das necessidades de capital dessas instituições.

Segundo ele, após análise de propostas por grupos do G20 e bancos multilaterais, será apresentado um roteiro para tornar essas instituições “melhores, maiores e mais eficazes”. O documento será submetido à aprovação dos ministros de Finanças e presidentes de Bancos Centrais do G20 na reunião de outubro, também em Washington.

Continua depois da publicidade

“Entre os componentes centrais do roteiro do G20 está o incentivo a compromissos ambiciosos para a reposição do capital e a expansão das janelas concessionais dos Bancos Multilaterais de Desenvolvimento”, afirmou Haddad.

“Além disso, estamos avançando nas discussões sobre o aumento geral de capital e a possível criação de um mecanismo de revisão das necessidades de capital dessas instituições”, completou o ministro da Fazenda.

“No centro desses esforços, está a necessidade de garantir que o apoio dos bancos multilaterais de desenvolvimento seja orientado pelas prioridades nacionais de desenvolvimento, proporcionando benefícios tangíveis aos países beneficiários. Isso envolve melhorar a capacidade dessas instituições de responder de forma eficaz e em escala aos desafios de desenvolvimento, focando em áreas onde elas podem agregar valor de forma sistêmica”, disse Haddad.

Continua depois da publicidade

“A reforma da governança global é uma prioridade da presidência brasileira do G20. Com base no trabalho das presidências anteriores, estamos formulando, de maneira inclusiva e colaborativa, um Roteiro do G20 para promover Bancos Multilaterais de Desenvolvimento melhores, maiores e mais eficazes.”

Leia também:

Haddad sobe o tom contra “super-ricos” e cobra cooperação do G20 contra evasão fiscal
Em encontro do G20, Haddad fala em “nova globalização” e defende taxação de super-ricos

Continua depois da publicidade

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) planeja divulgar, no sábado (20), um comunicado com metas conjuntas dos bancos multilaterais de desenvolvimento que deverão envolver o compartilhamento de prioridades e a possibilidade de cofinanciamento de projetos.

(Com Reuters)