Eleições 2018

Haddad é rejeitado por 52%, contra 34% de Bolsonaro, diz XP/Ipespe

Grupo de eleitores que dizem não votar de jeito nenhum em Bolsonaro cai 25 pontos percentuais em duas semanas, contra 13 p.p. de recuo na rejeição a Haddad. Quadro reforça dificuldades para campanha petista

SÃO PAULO – Além de confirmar o amplo favoritismo de Jair Bolsonaro (PSL) na reta final da corrida presidencial pelos quadros de intenção de voto, a pesquisa XP/Ipespe desta sexta-feira (19) mostra uma redução mais acentuada na rejeição ao deputado federal em comparação com seu adversário, o ex-prefeito paulistano Fernando Haddad (PT), o que pode trazer ainda mais dificuldades ao candidato petista para reverter o cenário atual.

Leia também: Bolsonaro lidera com 58%; Haddad só vence no Nordeste e entre menos escolarizados

Segundo o levantamento, o grupo de eleitores que diz que não votaria em Bolsonaro de jeito nenhum agora alcança a marca de 34%. Duas semanas atrás, o percentual estava em 59%. Pouco antes do atentado a facada que foi vítima durante ato de campanha em Juiz de Fora (MG), o militar da reserva chegou a ver sua rejeição bater 62%, em seu maior patamar. A melhora de Bolsonaro neste indicador amplia seu favoritismo na disputa.

PUBLICIDADE

O gráfico abaixo mostra a evolução da avaliação do eleitorado sobre Bolsonaro:

ipespe1910d
Fonte: XP/Ipespe (BR-05349/2018)

Haddad também diminuiu sua rejeição, mas o movimento foi mais tímido que o de seu adversário. Duas semanas atrás, 65% dos eleitores diziam não votar no petista de jeito nenhum. Hoje, este grupo representa 52% do eleitorado, segundo a mais recente pesquisa XP/Ipespe. A diferença entre a rejeição aos candidatos, que era de 6 pontos percentuais, passo a ser de 18 pontos.

O gráfico abaixo mostra a evolução da avaliação do eleitorado sobre Haddad:

ipespe1910e
Fonte: XP/Ipespe (BR-05349/2018)

A pesquisa XP/Ipespe foi feita entre 15 e 17 de outubro e e ouviu 2.000 entrevistados de todas as regiões do país, por telefone. O intervalo de confiança é de 95,45%, o que significa que, se o questionário fosse aplicado mais de uma vez no mesmo período e sob mesmas condições, esta seria a chance de o resultado se repetir dentro da margem de erro máxima, estabelecida em 2,2 pontos percentuais.

PUBLICIDADE

Quer ganhar dinheiro nesta eleição investindo com corretagem ZERO? Abra sua conta agora na Clear