RADAR INFOMONEY Hering (HGTX3) sai do básico com plano ousado para 2021. Vai funcionar?

Hering (HGTX3) sai do básico com plano ousado para 2021. Vai funcionar?

Leilões polêmicos

Guitarras doadas por Lenny Kravitz e Bono ao “Fome Zero” são investigadas na Lava Jato

Lava Jato apura o destino da renda obtida com os instrumentos, que foram doados durante a presidência de Lula

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Em matéria do último final de semana, o jornal O Estado de S. Paulo revelou que as guitarras doadas por Lenny Kravitz e Bono (U2) ao programa “Fome Zero”, entre os anos de 2005 e 2006, estão sendo alvo de investigações da Operação Lava Jato. O objetivo da apuração é descobrir o destino da renda obtida com os instrumentos, que foram doados durante a presidência de Luiz Inácio Lula da Silva. 

Lenny Kravitz doou uma guitarra Epiphone Flying V autografada em março de 2005, enquanto estava em turnê pelo Brasil. Dois meses depois, o instrumento foi leiloado dois meses depois e arrematado por R$ 322 mil pelo empresário Pedro Grendene. 

Em 2006, ano de reeleição, seria a vez do irlandês Bono Vox doar uma guitarra ao Fome Zero para ser leiloada e gerar – além dos recursos – publicidade ao programa carro-chefe do governo Lula. O segundo leilão, no entanto, informa o jornal, aconteceria somente um ano depois, depois de muita cobrança e questionamentos dos fãs. Uma das suspeitas levantadas na ocasião envolvia a guarda do instrumento, que supostamente estaria na casa de um dos filhos do então presidente. 

Agora, dez anos depois, a Lava Jato revela bastidores dessas doações: análise de e-mails do pecuarista José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente, mostra que houve uma disputa entre a ONG Ação Fome Zero e o Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome pelo direito dos recursos levantados com os leilões e a preocupação da coordenadora da entidade, Fátima Menezes, em relação a cobrança da imprensa sobre a guarda da guitarra de Bono Vox.

Em um dos e-mails, a ex-coordenadora da ONG Ação Fome Zero, Fátima Menezes, afirma, em negrito: “não podemos fazer uso do recurso obtido pelo leilão”. Discutia-se ainda o fato da renda poder ser utilizada para o fundo de combate à fome, do Ministério de Desenvolvimento Social – destino diferente do planejado anteriormente. 

O material com bastidores das doações das guitarras para o Fome Zero foi anexado em inquérito em que Bumlai é alvo – ele é réu em processo em fase de sentença a ser proferida pelo juiz federal Sérgio Moro.