Inflação

Guedes: Precisamos estar juntos em trégua de preços para quebrar espiral inflacionária

Segundo o ministro, os produtos do campo passam por um “corredor polonês” de impostos até chegar às prateleiras

Por  Estadão Conteúdo -

Em tom de campanha eleitoral, o ministro da Economia, Paulo Guedes, reforçou os pedidos do presidente Jair Bolsonaro (PL) aos empresários do setor de supermercados para frear e derrubar os preços dos produtos comercializados. As declarações foram feitas durante participação no Fórum da Cadeia Nacional, organizado pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras).

“Reforço o pedido do presidente, é hora de dar freio nos preços. O empresariado precisa entender que temos que quebrar a cadeia inflacionária. Se o presidente está pedindo para baixar preços, quem tem voto é ele, vamos baixar. Vamos dar uma trégua de preços”, disse. O ministro disse que é preciso todos estarem juntos nessa trégua para “quebrar a espiral inflacionária”.

Segundo Guedes, os produtos do campo passam por um “corredor polonês” de impostos até chegar às prateleiras. O ministro também pediu que os governadores aceitem as propostas do governo para reduzir os impostos dos combustíveis.

O ministro da Economia citou ainda que o governo federal repassou aos governos estaduais R$ 500 bilhões nos últimos três anos e têm R$ 180 bilhões em caixa.

“Está na hora de os governadores ajudarem o Brasil. Os governadores tiveram um aumento de arrecadação brutal. O governo federal não conseguiu dar aumento para funcionalismo, mas reduziu impostos. Alguns governadores não querem compartilhar aumento de arrecadação com a população. É a primeira vez que os Estados vão colocar a mão no bolso”, disse.

Compartilhe