Não foi hoje

Greve dos caminhoneiros “trava” a Lava Jato e Moro suspende audiência de Lula

Essa seria a primeira vez que o petista deixaria a Superintendência da Polícia Federal de Curitiba, onde está preso desde 7 de abril

SÃO PAULO – Diante da greve dos caminhoneiros, que caminha para o quinto dia consecutivo e bloqueia as rodovias pelo Brasil, o juiz federal Sérgio Moro determinou a suspensão das audiências envolvendo a ação penal em que o Luiz Inácio Lula da Silva é acusado pela Lava Jato pelo recebimento de propina em troca de obras no Sítio Santa Bárbara, localizo em Atibaia (SP).

“O prolongamento excessivo da paralisação e que inclui o questionável bloqueio de rodovias tem gerado sérios problemas para a população em geral, com prejuízos principalmente para o abastecimento de alimentos e de combustíveis nas cidades”, aponta o despacho publicado nesta sexta-feira (25). “Na presente data, o expediente na Justiça Federal de Curitiba foi cancelado, muito embora seja intenso o trabalho interno dos servidores”, escreveu o juiz federal.

Entre as 13 pessoas que iriam depor, estava justamente o ex-presidente Lula, que iria realizar esclarecimentos sobre as acusações de ter recebido vantagens indevidas das empreiteiras Odebrecht, OAS e Schahin em troca de contratos com a Petrobras. Essa seria a primeira vez que o petista deixaria a Superintendência da Polícia Federal de Curitiba, onde está preso desde 7 de abril.

PUBLICIDADE

“Espera-se que prevaleça o bom senso dos envolvidos, com a normalização da situação e antes que ocorram episódios de violência, mas considerando a incerteza em relação aos próximos dias, é o caso de, por prudência, suspender as audiências do dia 28/05/2018 e, oportunamente, redesigná-las”, concluiu o Moro no despacho.