Gregos querem revisão dos termos do resgate, aponta pesquisa

Enquete mostrou também que 52,4% dos gregos apoiam a permanência do país na Zona do Euro

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Embora reconheçam que a Grécia não cumpriu as medidas de austeridade exigidas, a maioria dos gregos quer uma revisão dos termos do resgate financeiro internacional, que pode levar à saída da Grécia da Zona do Euro, segundo pesquisa de opinião realizada no país.

De acordo com a pesquisa, 77% dos gregos disseram que os termos do resgate devem ser revistos. A rede de televisão de Atenas Mega TV encomendou a pesquisa ao grupo GPO SA.

Por sua vez, a enquete mostrou também que 52,4% dos gregos relataram que o país deve permanecer na Zona do Euro, aceitando as medidas de austeridade que acompanham o resgate, enquanto 44,5% disseram que o país não deveria aceitar o plano e sair do bloco caso não houvesse uma revisão. Por fim, 81% gostaria de permanecer no bloco da moeda única.

Aprenda a investir na bolsa

A sondagem foi feita semanas antes da segunda eleição geral que acontecerá na Grécia em 17 de junho. Esta pesquisa é a última de uma séria de sondagens e ainda mostra dúvidas se o lugar da Grécia é ou não a Zona do Euro.

Assim, os gregos seguem divididos sobre a possibilidade de deixar a Zona do Euro: 48% acreditam que a possibilidade é baixa e 45% apostam em um alta probabilidade.

Resgate
Para os pesquisados, o Nova Democracia – a favor do pacote de resgate – teve 23,4% de apoio e o Syriza, que se opõe, 22,1%. No entanto, houve empate técnico, já que a margem de erro é de 2,6 pontos percentuais para cima e para baixo. Já o partido socialista Pasok, que também é a favor do plano de resgate, teve 13,5% de apoio da população.

Segundo a pesquisa, 1/3 dos entrevistados disseram que o Nova Democracia está pronto para assumir o governo, e 16% acreditam no Syriza. Contudo, 57% acreditam que a Nova Democracia vencerá as próximas eleições.