Grécia anuncia voto de confiança e referendo sobre ajuda internacional

Povo grego poderá decidir entre dezembro e janeiro se aprova ou não o empréstimo de 130 bilhões de euros ao país

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – George Papandreou, primeiro-ministro grego, surpreendeu na noite de segunda-feira (31) ao anunciar que conduzirá um voto de confiança no parlamento e posteriormente um referendo para que o povo do país aprove as decisões da União Europeia.

Conforme publicado em agências internacionais, o voto de confiança no Parlamento ocorrerá na noite de sexta-feira, após três dias de debate no Parlamento. Caso a resposta seja negativa, o governo de George Papandreou terá que ser dissolvido, ao passo que um dos principais partidos oposicionistas já revelou a sua intenção de se abster da votação.

Enquanto isso, não há uma data certa para o referendo, mas se espera que este ocorra entre dezembro e janeiro, revelam agências internacionais. Em uma pesquisa conduzida na véspera, constatou-se que 60% dos gregos consideravam o novo corte na dívida do país e o empréstimo de € 130 bilhões como negativo.

Aprenda a investir na bolsa

O povo dará a palavra final
“A questão é muito simples. Terá um acordo, e uma lei de ratificação. A lei de ratificação virá do Parlamento e sairá antes do povo grego. O povo grego dirá ‘sim’ ou ‘não’ para um acordo que providenciará um novo empréstimo, reduzindo a dívida pública em € 100 bilhões”, afirmou o ministro de finanças, Evizelos Venizelos.

Tal medida cria uma nova oportunidade para o país se tornar novamente autônomo e emancipado nos mercados internacionais e apoiará a economia real ao prover liquidez “para mudar essa situação trágica”, complementou o ministro.

“O cidadão grego pode dizer não, mas conhecendo as consequências de cada resposta”, conclui Venizelos, o qual sentiu dores abdominais nesta manhã e deverá permanecer na Clínica Central de Atenas até o final da tarde.