Graças ao saldo primário recorde, setor público registra superávit nominal

Com isso, o resultado nominal negativo do setor público agora soma R$ 405 milhões no ano, ou 0,05% do PIB

SÃO PAULO – A dívida líquida do setor público atingiu R$ 1,079 trilhão, ou 44,4% do PIB (Produto Interno Bruto) em abril, reduzindo-se em relação ao mês de março, quando atingiu R$ 1,088 trilhão (45% do PIB).

O superávit primário de R$ 23,5 bilhões de abril, o melhor resultado mensal desde o início da série histórica, em 1991, foi o principal determinante dessa queda. A relação dívida líquida do setor público registra queda correspondente a 0,5 ponto percentual do PIB neste ano.

Graças ao expressivo superávit primário, as contas públicas consolidadas registraram saldo nominal positivo de R$ 11,173 bilhões no mês de abril. No mesmo período de 2006, também houve superávit nominal, mas de R$ 6,553 bilhões.

PUBLICIDADE

Com isso, o resultado nominal negativo do setor público agora soma R$ 405 milhões no acumulado do ano, ou 0,05% do PIB. No mesmo período de 2006, o déficit nominal atingiu R$ 16,641 bilhões, ou 2,31% do PIB.

Resultado primário contribuiu para a queda

O resultado primário contribuiu para essa queda com 2,1 pontos percentuais do PIB, e o efeito do crescimento do PIB valorizado, com 1 ponto percentual.

Na outra ponta, os juros nominais apropriados, o ajuste de paridade da cesta de moedas que compõem a dívida externa líquida e o ajuste decorrente da apreciação cambial de 4,9% acumulada em 2007 contribuíram de forma negativa para a redução da dívida com parcela de 2,1 pontos percentuais, 0,3 ponto percentual e 0,2 ponto percentual do PIB, respectivamente.

A dívida bruta do governo geral (Governo Federal, INSS, governos estaduais e governos municipais) atingiu R$ 1,602 trilhão, ou 66% do PIB, em abril, comparativamente ao R$ 1,603 trilhão (66,4% do PIB) observado em março.