Análise

Governo Temer é obrigado a aprovar a PEC do teto de gastos, diz Pastore

Em evento, economista fez, contudo, alguns questionamentos sobre concessões do governo no campo de reajustes ou até a exclusão de saúde e educação do alcance da PEC

SÃO PAULO – Para Affonso Celso Pastore, sócio-fundador da A.C. Pastore & Associados e ex-presidente do Banco Central, o governo Michel Temer é obrigado a aprovar a PEC do teto de gastos.

Pastore disse, durante evento “Os desafios do Brasil” realizado em São Paulo, que está confiante que a PEC do teto passará no Congresso. Porém, ele faz alguns questionamentos sobre concessões do governo no campo de reajustes ou até a exclusão de saúde e educação do alcance da PEC. “Se enfraquecer a PEC, a execução do ajuste fiscal será dificultada”. Além disso, ele faz outra ressalva: “uma vez aprovada a PEC, será apenas o começo do jogo”

Pastore cita o que entende como necessidade de se realizar uma reforma na previdência, mas enxerga mais dificuldades de êxito ao governo nessa pauta, uma vez que mexe com direitos adquiridos.

PUBLICIDADE

Em sua fala, ele fez questão de ressaltar que, em sua visão, o processo de impeachment foi legítimo, destacando as sessões no Congresso e a presidência das sessões no Senado, pelo presidente do Supremo.

Estamos saindo de uma das maiores recessões da nossa história. Só não é tão longa e profunda como 1983″, destacou ele, ressaltando que enxerga crescimento lento em 2017 e possivelmente acelerando em 2018. “Não estamos assistindo a um ajuste trivial”, afirmou o economista.