Política

Governo português perde apoio nas pesquisas após aumento de imposto

No sábado, manifestantes protestaram contra o aumento das contribuições dos trabalhadores para a seguridade social

SÃO PAULO – O PSD (Partido Social Democrata), que lidera a coligação governista em Portugal, continua a perder terreno nas intenções de voto para a maior força da oposição, o PS (Partido Socialista), numa reação ao recente endurecimento das medidas de austeridade, segundo uma sondagem da Universidade Católica.

Atualmente, 31% dos eleitores dariam o seu voto aos socialistas e apenas 24% optariam pelos social-democratas.

As entrevistas foram realizadas entre 15 e 17 de Setembro, no pico da contestação social a um pacote de € 4.900 milhões em novas medidas de austeridade adicional, que aumentam a carga fiscal dos trabalhadores e pensionistas.

PUBLICIDADE

No sábado, uma manifestação de centenas de milhares de portugueses, sobretudo em Lisboa e Porto, protestou contra o aumento das contribuições dos trabalhadores para a seguridade social, de 7% para 18%.

Além da contestação social e da inédita união entre a oposição, sindicatos e patronato contra a nova medida de austeridade, também o menor partido da coligação governamental, CDS-Partido Popular, anunciou que discorda das medidas, abrindo a primeira crise política pública com o seu parceiro, o PSD.

O líder do maior partido da oposição, o PS (Partido Socialista), que tem apoiado no Parlamento votações-chave da maioria parlamentar de centro-direita, anunciou que vai votar contra o OE (orçamento de Estado) para 2013, mesmo que o governo recue e retire o aumento do imposto.