Ministro do STF

Governo pode recorrer “ao papa ou ao diabo”, ironiza Gilmar Mendes sobre recurso da AGU

Ele também ironizou novamente a decisão do presidente interino da Câmara dos Deputados Waldir Maranhão de anular a votação do impeachment na Câmara

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Após criticar na véspera a decisão do presidente interino da Câmara dos Deputados Waldir Maranhão (PP-MA) de anular a votação do impeachment de Dilma Rousseff (revogada horas depois pelo próprio parlamentar), o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes voltou a criticar a nova tentativa do governo de anular o processo.

Quando perguntado sobre o que achava da decisão do ministro da AGU (Advocacia Geral da União), José Eduardo Cardozo, de entrar com recurso no Supremo pedindo anulação do processo contra Dilma, Mendes ironizou: “ah, eles podem ir para o céu, o papa ou o diabo”.

Ele também ironizou novamente a decisão de Maranhão, segundo o jornal O Estado de S. Paulo. “É interessante, né (risos)? Hoje eu vi uma notícia dizendo que isso (a decisão) foi regado a muita pinga, vinho. Isso até explica um pouco, né? É, tá muito engraçado isso. Estranho, né? Muito estranho”, disse. 

Aprenda a investir na bolsa

Ontem, Gilmar Mendes classificou a tentativa de Maranhão de “Operação Tabajara”. “Se não fosse um ato circense, seria realmente um ato criminoso, de tentativa de fraude”, afirmou.