Governo japonês pode adotar novas sanções contra a Coreia do Norte

Aumento nas sanções serão adotados caso o país comunista prossiga em seus planos de testar um míssil

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O primeiro-ministro japonês, Taro Aso, afirmou, nesta quinta-feira (19), que poderá adotar novas sanções contra a Coreia do Norte caso o país faça o lançamento de um míssil.

Entre as restrições estaria a suspensão de todas as exportações para o país comunista, e o aumento do período das sanções atuais, de seis meses para um ano.

Desde 2006, após a realização de um teste nuclear pela Coréia do Norte, o Japão adotou sanções ao país, e a cada seis meses vota a renovação ou não dessas medidas. A próxima votação deve ocorrer em abril.

Lançamento de míssil

PUBLICIDADE

A Coréia do Norte informou que pretende lançar um satélite de telecomunicações em órbita, porém, muitos acreditam que, na verdade, o país esteja se preparando para testar um míssil, embora a ONU (Organização das Nações Unidas) tenha proibido esse tipo de atividade pelo governo do local.

O ministro de Defesa japonês, Yasukazu Hamada, já afirmou que pretende interceptar o objeto a ser lançado, caso considera que seja uma ameaça ao Japão.