Análise

Governo deve derrotar denúncia por margem ainda mais larga do que esperado, diz Eurasia; Temer prepara discurso

O alto quórum desta manhã e as consultas com os líderes do partido sugerem que o número será maior do que 250 a 270 votos, potencialmente chegando a cerca de 300 votos

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O governo Michel Temer conseguirá barrar a denúncia contra ele na Câmara dos Deputados por uma ampla margem, de acordo com a avaliação da consultoria de risco político Eurasia Group. Segundo relatório da consultoria, as consultas com os líderes do partido sugerem que a margem de vitória será ainda maior do que a Eurasia estava esperando, entre 250-270 votos.

“O presidente só precisa de 172 membros da Câmara para barrar a denúncia, mas deve conseguir um número muito maior. O alto quórum desta manhã e as consultas com os líderes do partido sugerem que o número será maior do que 250 a 270 votos, potencialmente chegando a cerca de 300 votos”, afirmam os consultores. 

O governo ganhou a primeira batalha, mas o processo será longo, aponta a Eurasia, com a votação podendo se estender até tarde da noite. A consultoria ainda ressalta que, enquanto o PSDB indicou que cerca de dois terços dos deputados do partido votarão contra Temer, o governo conseguiu obter apoio expressivo do PMDB e outros partidos de centro, o que será mais do que suficiente para barrar a denúncia (que precisa de no mínimo 172 votos favoráveis a Temer para não prosseguir). “Possivelmente, chegam-se a 280 a 300 ou mais [votos favoráveis a Temer]. Alguns líderes do governo contam com 302 deputados”, aponta.

Aprenda a investir na bolsa

Para o futuro, uma forte vitória hoje é um bom presságio para a agenda de reformas e para a própria sobrevivência de Temer. “Embora seja provável que uma outra denúncia da Procuradoria Geral da República seja enviada ao Congresso, a provável vitória de hoje dará ao governo alguns meios para retomar as negociações sobre a reforma da Previdência”, avaliam. 

Com a grande chance de vitória do presidente, Temer já começa a discutir o seu pronunciamento, que deve ser feito após o resultado da votação. Segundo a coluna de Andréia Sadi, do G1, ele tem sido aconselhado por um grupo de auxiliares a divulgar um vídeo, nas redes sociais, com uma mensagem econômica, apontando para as reformas e adotando um “tom de recomeço”. Outra ala do Planalto defende, no entanto, que o pronunciamento seja em cadeia de TV e rádio. De qualquer forma, o tom da fala do presidente, afirmaram ministros à jornalista, será de que a crise política do seu governo se encerra com a vitória na primeira denúncia. E que ele dará sequência às reformas.

Já a coluna Expresso, da Época, aponta que Temer concentrará o seu discurso na suposta capacidade do presidente de ser o único capaz de aprovar as reformas necessárias para o desenvolvimento do país. O texto final, no entanto, ainda precisa ser aprovado por Temer.