Novas medidas

Governo deve aumentar IR sobre empresas, doação e herança para compensar arrecadação

De acordo com o jornal O Globo, as medidas serão adotadas para compensar a queda de arrecadação com a correção de 5% na tabela do IR para pessoas físicas a partir de 2017

SÃO PAULO – O governo anuncia nesta sexta-feira (6) as medidas que serão adotadas para compensar a queda de arrecadação com a correção de 5% na tabela do Imposto de Renda das pessoas físicas a partir de 2017, segundo o jornal O Globo. Essa medida anunciada pela presidente Dilma Rousseff no dia 1º de maio custaria R$ 5 bilhões aos cofres públicos, de acordo com cálculos da área econômica. 

A principal medida para compensação é o aumento do IR para empresas que optam pelo regime do lucro presumido, mas também subirá a tributação sobre doações, heranças e direitos de imagem.

Além de compensar a perda de receitas, o aumento da carga tributária para quem opta pelo lucro presumido servirá para desestimular uma prática nociva que existe hoje, destacam técnicos do governo: pessoas físicas se transformam em pessoas jurídicas para pagar menos impostos e são contratadas como prestadores de serviços.

PUBLICIDADE

Também será anunciado o aumento do IR e da CSLL (Contribuição Social sobre Lucro Líquido) sobre direitos de imagem. Outra medida será fixar uma alíquota do IR sobre doações e heranças; atualmente, as operações são tributadas apenas na esfera estadual por meio do Imposto sobre a Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCD), com alíquota de 8%.

Mais tarde, publicação do Diário Oficial mostrou que a presidente encaminhou ao Congresso o texto do projeto de lei que muda IRPF e dispõe sobre a tributação das doações e heranças, do excedente do lucro distribuído pelas empresas optantes pelo lucro presumido e arbitrado. O projeto também se refere à alteração na tributação do direito de imagem e voz e no benefício fiscal concedido às empresas integrantes do regime especial da indústria química, mas não traz mais detalhes sobre as mudanças contempladas.