Contra adesivo

Governo denuncia à Justiça adesivo com ofensa sexual a presidente Dilma

Ministra da secretaria de Política para Mulheres pediu "ação urgente" para "impedir a produção, veiculação, divulgação, comercialização e utilização do material" e ainda pediu que os responsáveis respondam penalmente

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – De acordo com informações da colunista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, a ministra da secretaria de Política para Mulheres Eleonora Menicucci encaminhou denúncia ao Ministério Público Federal, à AGU (Advocacia-Geral da União) e ao Ministério da Justiça que denigrem a imagem da presidente Dilma Rousseff. 

Eleonora pediu “ação urgente” para “impedir a produção, veiculação, divulgação, comercialização e utilização do material” e ainda pediu que os responsáveis respondam penalmente: “as pessoas precisam distinguir diferenças políticas do respeito à dignidade humana”.

Ontem, começou a circular pela internet imagens de carros com adesivos colados na entrada do tanque de gasolina, onde a presidente aparece de pernas abertas, com a entrada do tanque de gasolina ficando entre suas pernas – na prática: a ideia do adesivo é mostrar Dilma Rousseff sendo penetrada sexualmente pela mangueira de combustível. 

PUBLICIDADE

O tal “protesto” teria como motivo o preço da gasolina nos postos, que vem aumentando gradualmente ao longo do ano e começou a pegar pesado no bolso do consumidor, mas gerou muitas polêmicas por conta do mal gosto e ofensa fora da medida em relação à presidente. 

Veja mais: Adesivo com Dilma sendo “penetrada” por bomba levanta a questão: isso é protesto?