Governo brasileiro poderá emitir títulos no exterior, afirma Arno Augustin

Medida foi estabelecida após a agência de classificação de risco Moody's ter elevado a nota da dívida pública do País

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O governo brasileiro poderá agora emitir títulos no exterior, anunciou nesta quarta-feira (29) o secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin. A decisão foi estabelecida depois de o país ter a nota da dívida pública elevada pela agência de classificação de risco Moody’s.

Ainda não há data específica para a operação e o secretário evitou informar se os títulos a serem lançados serão em dólares ou em reais. “Temos a expectativa de, em breve, fazer uma emissão externa”, afirmou Augustin,  por meio da Agência Brasil, durante comentário sobre o resultado do Tesouro Nacional de maio. 

Última emissão ocorreu em 2010
A última emissão externa de títulos ocorreu em outubro de 2010. Na ocasião, o Tesouro Nacional emitiu R$ 1,1 bilhão em títulos com vencimento em 2028. Os juros foram 8,85% ao ano, a segunda menor taxa da história para esse tipo de papel.

Aprenda a investir na bolsa

Desta forma, governo tem o direiro de emprestar dinheiro dos investidores internacionais por meio do lançamento de títulos da dívida externa, com o compromisso de devolver os recursos com juros, sendo que taxas mais baixas significam que é menor é o grau de desconfiança dos investidores de que o Brasil não conseguirá pagar a dívida.

Mais recursos para captação
A agência de classificação de risco Moody’s elevou o rating soberano do Brasil de Baa3 para Baa2 no dia 20 de junho, além de manter a perspectiva positiva para a nota, com base na expectativa de um cenário macroeconômico mais sustentável.