Crise

Governo acompanha com preocupação anúncio de demissões na Usiminas, diz Rossetto

O ministro afirmou ainda que o governo solicitou a suspensão, por 4 meses, das demissões

Aprenda a investir na bolsa

O ministro do Trabalho e Previdência Social, Miguel Rossetto, afirmou nesta quarta-feira, 11, que o governo está acompanhando a situação da Usiminas em Cubatão (SP) com preocupação. A empresa anunciou que irá fechar a unidade até janeiro, o que significará a demissão de 2 mil trabalhadores diretos e pelo menos outros 2 mil ligados à cadeia do aço na região. “Estamos acompanhando a situação da Usiminas (USIM3; USIM5), temos mantido contato. Já tivemos algumas reuniões e pretendemos ter outras”, relatou o ministro.

Rossetto afirmou ainda que o governo solicitou a suspensão, por quatro meses, das demissões. “Ainda não temos acordo estabelecido e estamos avaliando possíveis iniciativas para a região, para empresa e para o setor”, explicou o ministro. Pela manhã, manifestantes realizaram um protesto contra a decisão da Usiminas de paralisar a produção de placas de aço em Cubatão.