Governistas tentam impedir criação de CPI do apagão aéreo

Já a oposição acredita que a instalação da CPI é inevitável na Câmara dos Deputados; Supremo Tribunal Federal ainda vai decidir

SÃO PAULO – O debate sobre a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a crise no setor aéreo mobiliza deputados e senadores em Brasília.

Os governistas buscam de todas as formas impedir que a CPI seja criada. No Senado, a base governista tenta conter a criação de outra CPI sobre o mesmo assunto. “Queremos evitar a CPI aqui no Senado Federal porque entendemos que hoje não há clima, não há necessidade de ter CPI aqui nesta Casa”, afirma o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR).

Já a oposição acredita que a instalação da CPI é inevitável na Câmara dos Deputados. Os deputados aguardam a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) para a instalação ou não da CPI. De acordo o líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), o governo não pode tudo, tampouco impedir a criação de CPIs.

Lula não quer a CPI

PUBLICIDADE

Nesta sexta-feira (13), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva reconheceu, durante reunião com líderes do governo no Congresso, que a instalação da CPI do apagão aéreo no Senado poderá prejudicar a votação das matérias prioritárias para o Executivo, entre elas as do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Apesar de Lula ser contrário à CPI, Jucá reiterou que o Governo Federal não teme as investigações da comissão. “O governo não tem medo de CPI. É claro que ela atrapalha todas as votações no Congresso, mas não é o governo quem pauta as comissões”, completou ele.