Economia

Goldman Sachs vai ao Ministério da Fazenda para falar sobre a economia brasileira

Desde que o Brasil anunciou mudanças na política fiscal, economistas de instituições voltadas para investimentos procuram acompanhar de forma mais próxima os números da economia do país.

Representantes do Goldman Sachs estiveram hoje (17) de manhã no Ministério da Fazenda reunidos com o secretário de Acompanhamento Econômico em exercício, Pablo Fonseca Pereira dos Santos. A conversa foi “sobre o desempenho da economia brasileira”, informou o ministério. Com sede em Nova York, o Goldman Sachs é um dos principais bancos internacionais de investimento e de gestão de valores.

Desde que o Brasil anunciou mudanças na política fiscal, economistas de instituições voltadas para investimentos procuram acompanhar de forma mais próxima os números da economia do país. Amanhã (18), auditores da agência de classificação de risco Fitch podem se encontrar com técnicos do Ministério da Fazenda e, no dia seguinte, com o ministro Joaquim Levy. A confirmação desses encontros, no entanto, depende da divulgação da agenda do Ministério da Fazenda. A divulgação da agenda diária é sempre feita na noite anterior. 

No início do mês, Levy recebeu representantes da agência de classificação de risco Standard & Poor’s (S&P) para expor as medidas econômicas implementadas com o objetivo de garantir sustentabilidade fiscal de médio prazo e a estabilidade monetária.

PUBLICIDADE

Na ocasião, o ministro da Fazenda destacou que as medidas implementadas “são fatores relevantes para a manutenção da confiança dos investidores na economia, condição essencial para o crescimento sustentável e a manutenção dos ganhos sociais conquistados”.

As maiores agências de classificação de risco são a Moody’s, a Fitch e a Standard & Poor’s.

A classificação de risco, ou rating, na tradução em inglês, é a nota dada por instituições especializadas em análise de crédito a países e empresas. Essas agências avaliam a capacidade e a disposição do emissor de um título em honrar, pontual e integralmente, os pagamentos de dívidas. O rating é um indicador relevante para os investidores: fornece opinião a respeito do risco de crédito da dívida do país e da empresa.