Gleisi Hoffmann se despede do Senado com discurso em defesa da democracia

Senadora que assume a Casa Civil agradeceu aos colegas da oposição e negou o título de "trator do governo"

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – A senadora paranaense Gleisi Hoffmann, nomeada para o cargo de ministra-chefe da Casa Civil na última terça-feira (7), despediu-se do Senado nesta tarde, em discurso que recebeu o apoio de senadores como Fernando Collor de Melo e Aécio Neves. A petista segue para a posse oficial no Palácio do Planalto, às 16h30, segundo o Diário da União.

A petista foi nomeada para o cargo pela presidente Dilma Rousseff na véspera, pouco depois do ministro Antonio Palocci entregar sua carta de demissão da Casa Civil. Com isso, a crise iniciada por uma reportagem da Folha de São Paulo que denunciou que o patrimônio pessoal do ministro multiplicou-se em mais de vinte vezes entre os anos de 2006 e 2010, fica amenizada.

Gleisi agradeceu aos colegas e membros da oposição durante sua passagem de cinco meses pelo Senado, avaliando que “conviver com pontos de vista contraditórios é condição da vida parlamentar e democrática”. A senadora negou o apelido de “trator do governo” e disse estar sempre disposta a ouvir, discutir e construir conceitos.

PUBLICIDADE

“Sempre fui muito incisiva na defesa do governo, não pelo simples fato de pertencer a sua base ou pertencer ao seu partido, mas sobretudo porque acredito no projeto de governo, onde as pessoas são o objetivo maior da nossa atuação”, disse Gleisi no discurso que se estendeu por cerca de oito minutos. 

“Tenho uma caminhada a seguir”
A petista dirigiu-se ainda ao estado do Paraná e afirmou que seu afastamento do Senado não implicaria no distanciamento dos compromissos que assumiu. “A presidenta me confiou uma nova missão e vou cumpri-la levando o que aprendi no Senado. Tenho uma caminhada a seguir, a favor do Brasil e do seu futuro”.

O pronunciamento perante a tribuna foi concluído com os versos de Helena Kolody. “Deus dá a todos uma estrela. Uns fazem da estrela um sol. Outros nem conseguem vê-la”.

Collor e Aécio elogiam Gleisi
Seguiram o pronunciamento de Gleisi os votos de sucesso de seus companheiros de Senado. Fernando Collor de Mello, presidente da Comissão de Relações Exteriores, foi o primeiro a falar e elogiou a “capacidade de trabalho, discernimento e tenacidade” com que a senadora costuma defender o que acredita. “O senado, com sua saída, perde em qualidade. Tenho certeza, no entanto, que o governo do Brasil ganhará muito com sua presença na Casa Civil”, afirmou. 

Aécio Neves foi o terceiro a pedir um aparte, após fala da senadora Vanessa Grazziotin (PC do B/AM). O mineiro afirmou que o executivo ganha com o preparo e competência da petista, mas criticou o governo federal por não debater com a minoria. “Na democracia, tão importante quanto a maioria é a minoria (…). Espero que tenha essa compreensão, porque nesses primeiros meses o governo não permitiu que criássemos aqui um debate fértil sobre questões importantes para o país”, declarou o tucano.