Ministro do STF

Gilmar Mendes chama tentativa de anular impeachment de Dilma de “Operação Tabajara”

"Se não fosse um ato circense, seria realmente um ato criminoso, de tentativa de fraude”, afirmou o ministro do STF

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – A tentativa do presidente interino da Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão (PP-MA), de anular o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff foi duramente criticada pelo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes, que chamou a tentativa de “Operação Tabajara”. “Se não fosse um ato circense, seria realmente um ato criminoso, de tentativa de fraude”, destacou, segundo informações do jornal O Estado de S. Paulo.

Segundo Mendes,  “não faz nenhum sentido” um presidente da Câmara revogar a decisão tomada pelo plenário da Casa. Ele também criticou o advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo: “a gente fica com vergonha do nível jurídico, inclusive do advogado-geral da União”.

Mais cedo, Gilmar Mendes já havia criticado a medida: “o Brasil está vivendo uma grande confusão e um quadro de enorme desinteligência. Já não há mais possibilidade de fazer essa anulação. Imagine um presidente da Câmara dos Deputados anular uma decisão em colegiado. Isso não faz sentido, gera tumulto e é uma anomalia completa”, disse o ministro em visita a Cuiabá (MT) para receber uma homenagem da Assembleia Legislativa. 

PUBLICIDADE