Imprensa externa

FT cita Oscar Wilde para explicar por que a 3ª baixa do governo Temer não foi por acaso

"Perder um ministro, Senhor Temer, pode ser considerado um infortúnio. Perder três ministros em cerca de um mês parece descuido", diz a newsletter do jornal britânico

SÃO PAULO – O presidente interino Michel Temer foi o assunto principal da newsletter semanal sobre a América Latina do Financial Times. Desta vez, falando sobre a terceira baixa no ministério do peemedebista em menos de um mês: a saída do ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves, citado na Lava Jato. 

Jude Webber, que assina a newsletter, parafraseia o autor irlandês Oscar Wilde em frase de uma de suas peças, que diz: “perder um pai ou uma mãe, senhor Worthing, pode ser considerado um infortúnio; mas perder ambos parece descuido”.

“Para parafrasear Oscar Wilde: perder um ministro, Senhor Temer, pode ser considerado um infortúnio. Perder três ministros em cerca de um mês (e menos de dois meses antes das Olimpíadas) parece descuido”, afirma Webber. 

PUBLICIDADE

E ressalta que isso não é tudo. Nesta semana, Temer também se viu atingido por acusações de pedir propina para a campanha eleitoral de Gabriel Chalita à prefeitura de São Paulo em 2012. O presidente interino negou veemente as acusações e afirmou que elas não atrapalharão o governo. 

O FT cita ainda a personagem da peça de Oscar Wilde Lady Bracknell, afirmando que ela, sem dúvida, recomendaria fortemente a Temer ter algumas relações políticas melhores e se cercar de ministros menos propensos a saírem abruptamente, especialmente quando o Brasil está no centro das atenções internacionais e quando há alguns sinais de que a combalida confiança do consumidor pode dar sinais de reanimação. 

“Mas, pelo menos, a equipe do núcleo econômico de Temer –  os novos nomes do Ministério da Fazenda, Banco Central, Petrobras e BNDES – permanece limpa e intacta”, conclui.