Com prazo de validade

Fim da Lava Jato? Procurador critica PMDB e diz que muitos apoiavam a investigação para ver “o fim do governo Dilma”

"Agora que Temer conseguiu com liberação de verbas, cargos e perdão de dívidas ganhar apoio do Congresso, o seu partido deseja acabar com as investigações"

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Em sua página no Facebook, o procurador da República Carlos Fernando dos Santos Lima, um dos responsáveis pela Operação Lava Jato no Paraná, fez novas críticas ao governo, desta vez diretamente ao PMDB, após o vice-presidente da Câmara, Fábio Ramalho (PMDB-MG), afirmar que a força-tarefa da Lava Jato deve ter “prazo de validade” de até seis meses.

“Esse parece ser o próximo passo do PMDB. Infelizmente muitas pessoas que apoiavam a investigação só queriam o fim do governo Dilma e não o fim da corrupção. Agora que Temer conseguiu com liberação de verbas, cargos e perdão de dívidas ganhar apoio do Congresso, o seu partido deseja acabar com as investigações. Mas, mesmo com todas as articulações do governo e de seus aliados, as investigações vão continuar por todo país”, escreveu o procurador.

Em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo no último domingo (23), Ramalho disse que a Lava Jato deve seguir com suas investigações, mas não por um prazo indeterminado: “sou favorável que vá até o fim, mas tem de ter tempo de validade. Não pode ficar eternamente. Me mostre uma operação no mundo que teve prazo indeterminado. Defendo a Lava Jato, mas tem de ter prazo de término. O Brasil não vai aguentar isso o resto da vida”, afirmou o vice-presidente da Câmara.

PUBLICIDADE

Confira o post de Carlos Fernando dos Santos Lima