Greve

Fim da greve? As 5 medidas que Temer anunciou no domingo após conversas com caminhoneiros

Pronunciamento nacional foi feito na noite deste domingo; isenção da cobrança do eixo suspenso em todos os pedágios também está entre as medidas

SÃO PAULO – O presidente da República, Michel Temer, acaba de fazer um pronunciamento em rede nacional neste domingo (27), anunciando 5 medidas que, segundo ele, fazem parte das principais reivindicações dos caminhoneiros. A expectativa agora é se esse anúncio encerrará a onda de greves que vem afetando diversos setores em todo o País.

Confira as 5 medidas anunciadas pelo presidente: 

1) Preço do diesel terá redução de R$ 0,46/litro, o que corresponde à soma do PIS/Cofins com a Cide. “Quero que toda a população e os caminhoneiros saibam que para chegar neste valor, o governo está assumindo sacrifícios no orçamento e naturalmente honrará esse custo sem nenhum prejuízo para a Petrobras”, disse Temer.

PUBLICIDADE

2)O preço do óleo diesel será válido pelos próximos 60 dias. Até confesso, a primeira hipótese era 15 dias, depois 30 dias, e agora 60 dias. Depois disso, os reajustes só serão mensais”, disse Temer.

3) Isenção da cobrança do eixo suspenso dos pedágios nas rodovias municipais, estaduais e federais.

4)Assinei também uma Medida Provisória para garantir aos caminhoneiros autônomos 30% dos fretes da Conab, a Companhia Nacional de Abastecimento”, disse Temer.

5) Temer também assinou outra MP para estabelecer a tabela mínima de frete, conforme prevista no PL 121 que está sob análise no Senado Federal. “Essa decisão foi após conversar com o senador Eunício de Oliveira”, complementa o presidente.

Após o pronunciamento, Temer ressaltou que as medidas tomadas anteriormente seguem valendo, destacando entre elas o acordo de que não haverá reoneração da folha de pagamento no setor de transporte rodoviário de carga.

“Atendemos as demandas dos caminhoneiros mas principalmente de cada brasileiro que sofreu nesses últimos dias”, disse Temer. Ele citou dados da ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal), que indicam que milhões de animais vão morrer se não forem alimentados essa semana, “e fui informado que eles não tem nem como enterrar esses animais caso eles venham a perecer”.