Entrevista à Folha

FHC critica “excesso de ambição de Dilma pelo poder”: “ela não pode crer no que diz”

Em entrevista à Folha, o ex-presidente tucano ainda falou sobre as críticas de Lula, relembrando entrevista do petista à Playboy em 1979, em que dizia admirar Hitler: "vou chamar o Lula de nazista por isso? Ele é inconsequente, diz qualquer coisa”

SÃO PAULO – O ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso criticou, em entrevista à Folha de S. Paulo, o “excesso de ambição pelo poder” de Dilma Rousseff (PT) que busca a reeleição.

“Ela não pode acreditar no que está dizendo. É verdade que fizemos a estabilização, que iniciamos os programas sociais. Dizer que não, para ganhar a eleição, me entristece”. 

Ele ainda destacou o “bombardeio enorme” do PT pela queda no desempenho do presidenciável Aécio Neves, como o ocorrido com Marina Silva (PSB) no primeiro turno. “Ele [Aécio] tem resistido bem. Se for ver a quantidade de afirmações sobre o Aécio, sobre o PSDB ou sobre o meu governo que são falsas… E ainda assim ele chega competitivo. Os dados da pesquisa não são a palavra final. Ainda temos quatro dias”.

PUBLICIDADE

FHC ainda elogiou a “lealdade” de Aécio ao defender seu governo (1995-2002), o que José Serra e Geraldo Alckmin não fizeram nas eleições anteriores. 

Quanto às declarações de Lula, que comparou o tucano a nazistas, ele lembrou uma entrevista que o ex-presidente petista concedeu à Playboy em 1979 dizendo que tinha admiração pelo Hitler: “Vou chamar o Lula de nazista por isso? Ele é inconsequente, diz qualquer coisa”. Além disso, FHC afirmou que o PSDB quer ganhar a eleição e não destruir o PT. “O Lula inverte os argumentos”.

Perguntado se a crise hídrica em São Paulo poderia prejudicar Aécio, FHC afirmou que foi feita uma pesquisa interna e ela mostra que o eleitor votaria de novo em Geraldo Alckmin para governador, “então…”