Fed vê melhora, mas mantém inflação como principal risco, diz minuta

Colegiado acha que riscos atuais são menores, mas não descarta necessidade de voltar a elevar o juro básico dos EUA

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O Federal Open Market Committee, comitê de mercado aberto do banco central dos EUA, publicou nesta quarta-feira (21) a minuta de sua reunião de janeiro, quando manteve inalterado o juro básico norte-americano em 5,25% ao ano.

Em linhas gerais, o documento reiterou as interpretações anteriores de membros do Fed de que, embora tenha ocorrido uma melhora, a inflação permanece como a principal fonte de preocupação.

Viés de alta

Segundo o comunicado, o comitê chegou a discutir uma alteração na forma como vinha se referindo à inflação, como uma maneira de melhor expressar sua visão atual. No entanto, a decisão foi em prol da manutenção da linguagem, dado que alguns riscos para o controle do nível geral de preços permanecem e um esforço monetário adicional é possível.

PUBLICIDADE

Ademais, o Fomc ainda não identificou uma tendência clara e definida de desaceleração do núcleo dos principais índices de preços. Desta forma, as próximas decisões da política monetária serão subsidiadas pelos novos indicadores econômicos a serem anunciados.

Mas houve melhora

A despeito da eventual necessidade de voltar a elevar o juro, o colegiado apontou uma combinação de notícias melhores do que o esperado em termos de atividade econômica e inflação, de modo que os riscos atuais para o crescimento e para o controle dos preços são menores.

A seqüência de elevações da taxa básica de juro norte-americana, interrompida em agosto, era a maior desde a década de 70. A taxa era de apenas 1% ao ano quando o Fomc iniciou os ajustes, em 2004.