Falha técnica pode ter causado incêndio em avião da China Airlines

Ministério do Transporte japonês está investigando o caso e ainda não sabe se algum objeto foi sugado pela turbina

SÃO PAULO – Uma falha em uma das tubulações de combustível pode ter causado o acidente do Boeing 737 da China Airlines que pegou fogo na manhã da última segunda-feira (20), no Aeroporto de Naha.

O Ministério do Transporte japonês está investigando o caso e ainda não sabe informar se algum objeto foi sugado pela turbina direita, provocando o incêndio.

No entanto, os peritos que acompanham o caso suspeitam que uma das tubulações que bombeiam o combustível para o motor sofreu danos na hora da aterrissagem.

Incêndio

PUBLICIDADE

Como não houve rastro de derramamento de combustível na pista do aeroporto, a hipótese de falha na tubulação não pôde ser confirmada. O piloto da aeronave afirmou que os comandos no avião não indicaram qualquer anormalidade na hora do pouso.

Depois do acidente, 23 aviões do mesmo modelo foram testados no Japão e nenhum deles apresentou qualquer defeito no sistema de alimentação do combustível.

Oficiais dos Estados Unidos chegarão ao Japão nesta quarta-feira para acompanhar a perícia. Funcionários da General Eletric dos EUA, que junto com a empresa francesa CFM Internacional, é responsável pelo motor do Boeing, também participarão dos exames.

Entenda o caso

Nesta segunda-feira (20) um Boeing 737 da China Airlines que partiu de Taiwan com destino a Naha explodiu no aeroporto da capital de Okinawa.

As 157 pessoas que estavam a bordo foram retiradas do avião antes do incêndio e não houve nenhuma vítima fatal.