Em editorial

Fala de Temer sobre apoiar Lava Jato soa “vazia” levando em conta quem o rodeia, diz NYT

Para o jornal, Brasil tem medalha de ouro em corrupção; publicação critica ainda foro privilegiado

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Em editorial, o jornal americano New York Times afirmou que o Brasil tem “medalha de ouro em corrupção”, abordando os primeiros dias do governo Michel Temer. Ao falar sobre as declarações da última semana do presidente interino de que não iria atrapalhar as investigações da Operação Lava Jato, o jornal afirmou que, levando em conta os homens que cercam o presidente interino, “a fala soa vazia”.

Para o NYT, o interino “exibiu pouco juízo” ao nomear um ministério composto apenas por homens brancos em um país tão diversificado quando o Brasil, além de incluir nomes ligados à Operação Lava Jato em seu gabinete. 

“Se o presidente interino quer ganhar a confiança dos brasileiros, muitos dos quais têm protestado que a saída de Dilma é um golpe, ele e seu gabinete devem tomar medidas significativas contra a corrupção”, afirma o jornal americano. A publicação questiona ainda o fato da corrupção ter motivado parte do movimento político contra Dilma Rousseff, mas os escândalos continuarem após seu afastamento. Para o NYT, as gravações envolvendo Romero Jucá aparentemente dão respaldo à tese de que o real motivo do impeachment seria aproveitar a saída da presidente Dilma Rousseff para atrapalhar as investigações da operação.

Além disso, o artigo ataca o foro privilegiado, concedida a políticos no país. “Esta proteção injustificável claramente permitiu uma cultura de corrupção e impunidade institucionalizadas”, informou.  

“Não está claro o quão longe Temer avançará no combate à corrupção. Se ele for sério e quiser dar fim às suspeitas sobre a motivação para remover Dilma, ele faria bem em defender o fim da imunidade parlamentar para congressistas e ministros em casos de corrupção”, afirma o NYT. 

Aprenda a investir na bolsa