Investigação

Fachin separa investigações de Temer e Aécio e autoriza interrogatório do presidente

Na semana passada, a defesa de Temer pediu o desmembramento do inquérito

SÃO PAULO – O ministro relator da Lava Jato, Edson Fachin dividiu a investigação sobre o presidente Michel Temer e o deputado federal Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) do inquérito que também investiga no STF (Supremo Tribunal Federal) o senador Aécio Neves (PSDB-MG).

Ele irá continuar como relator da investigação que envolve Temer e Loures, que foi filmado pela Polícia Federal recebendo uma mala com R$ 500 mil entregue por um delator da JBS. Já o caso de Aécio e sua irmã, Andrea Neves, será sorteado para outro relator.

PUBLICIDADE

Além disso, Fachin autorizou o interrogatório de Michel Temer no mesmo inquérito sobre as delações dos donos da JBS. O interrogatório poderá ser feito por escrito e respondido pelo presidente 24 horas após a entrega das perguntas pela Polícia Federal.

Na semana passada, a defesa de Temer pediu o desmembramento do inquérito, sob o argumento de que não havia conexão entre os fatos imputados aos três, narrados na delação premiada da JBS.