Expectativa de inflação já está em trajetória de melhora, diz LCA

Estudo da consultoria aponta que expectativas implícitas costumam antecipar, em até um mês, os movimentos do Focus

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Um sentimento misto tomou conta do mercado após a divulgação do relatório Focus na última segunda-feira (16). “De um lado a expectativa para o IPCA medido pelo relatório Focus desacelerou ligeiramente e o IGP-10 veio abaixo da mediana das estimativas. Boas notícias, mas insuficientes para reverter o ceticismo de parte dos investidores e economistas de mercado”, sintetizou André Perfeito, da Gradual Investimentos.

Neste sentido, a LCA Consultores explica que a melhora na expectativa ainda é timida, para 5,22%, em razão da distância do centro da meta de inflação (4,5%). “Ademais, as distribuições das expectativas para o IPCA em 2011 e 2012 ainda apontam uma assimetria à direita, denotando que o balanço de riscos para a inflação é desfavorável”, pondera a consultoria.

Porém, por outro lado a consultoria reconhece que as expectativas de inflação implícitas, obtidas a partir da diferença entre a remuneração dos títulos pré-fixados e os indexados ao IPCA, apontou melhora mais acentuada, de 6,58% no final de janeiro para 5,25% na última medição.

Aprenda a investir na bolsa

Inflação implícita antecipa Focus
Frente à este cenário conflitante, a LCA realizou um teste de causalidade para verificar se há relação entre as duas medidas acima e observou que “os movimentos das expectativas implícitas costumam antecipar, em até um mês, os movimentos do Focus”.

“A boa notícia retirada desse exercício é de que parece estar encomendada a continuidade da melhora das expectativas de inflação 12 meses à frente do Focus”, resumiu a consultoria, que também acredita que o Banco Central parece ter recuperado a credibilidade junto a analistas após certo descrédito na passagem entre 2010 e 2011.

Queda das commodities ajuda
Já Perfeito, resumiu que “a inflação e sua prima distante, as expectativas, estão num momento de inflexão onde o cenário prospectivo parece por ora menos pior do que algumas semanas atrás uma vez que os preços das commodities estão em queda”, finalizou o economista.