Prisão

Ex-presidente da Petrobras e do BB é condenado a 11 anos de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro

Ele é acusado de receber R$ 3 milhões em propina da Odebrecht para facilitar contratos entre a empreiteira e a Petrobras

SÃO PAULO – Aldemir Bendine, ex-presidente da Petrobras e do Banco do Brasil, foi condenado nesta quarta-feira (7) pelo juiz Sergio Moro a 11 de prisão na Operação Lava Jato pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Ele é acusado de receber R$ 3 milhões em propina da Odebrecht para facilitar contratos entre a empreiteira e a Petrobras.

Moro determinou o cumprimento da pena em regime fechado. Bendine está preso preventivamente desde julho do ano passado, após a 42ª fase da Lava Jato. O ex-presidente das estatais foi absolvido dos crimes de pertinência a organização criminosa e de embaraço à investigação.

Segundo os procuradores, Bendine foi estrategicamente posicionado pelo governo federal para mitigar os efeitos econômicos da operação sobre as empresas investigadas, como forma de desestimular a celebração de acordos de colaboração e leniência.

PUBLICIDADE

Marcelo Odebrecht, ex-presidente da Odebrecht, e outras três pessoas também foram condenadas na mesma sentença. Porém, como ele firmou um acordo de delação premiada, está cumprindo prisão domiciliar desde dezembro do ano passado.

Quer investir em ações pagando só R$ 0,80 de corretagem? Clique aqui e abra sua conta na Clear