MPF/DF

Ex-ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves vira réu em ação improbidade

Henrique Eduardo Alves “passa a responder como réu no processo que apura indícios de enriquecimento ilícito entre os anos 1998 e 2002, período em que exerceu mandato parlamentar”

Aprenda a investir na bolsa

(Bloomberg) — Juiz da 16ª Vara Federal recebeu ação de improbidade administrativa apresentada pelo Ministério Público em 2004, segundo nota do MPF/DF.

  • Henrique Eduardo Alves “passa a responder como réu no processo que apura indícios de enriquecimento ilícito entre os anos 1998 e 2002, período em que exerceu mandato parlamentar”
    • Alves demonstrava sinais de riqueza incompatíveis com sua renda e patrimônio declarados como deputado federal e empresário, segundo o MPF
    • Constam das irregularidades: transferência patrimonial dissimulada; despesas e gastos em montante superior à receita declarada; titularidade dissimulada de sociedades comerciais, contas-correntes, investimentos, movimentação financeira e cartões de crédito em instituições financeiras com sede na Suíça, nos Estados Unidos e em paraísos fiscais, bem como por meio de empresa off-shore
  • “Ação já havia sido recebida, mas o prosseguimento do processo foi interrompido depois que o acusado apresentou recurso”
  • “Magistrado da 16ª Vara Federal, Marcelo Ribeiro Pinheiro, decidiu que há provas suficientes para confirmar o recebimento e dar continuidade à ação de improbidade”

Esta matéria foi publicada em tempo realapara assinantes do serviço BloombergaProfessional.