Crise política

Ex-ministro de FHC, Lula e Dilma e ex-STF, “linha-dura” é apontado como alternativa a Temer, diz jornal

Segundo a colunista Mônica Bergamo, conversas em Brasília apontam Nelson Jobim como potencial substituto de Temer, caso ele caia

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Com o agravamento da crise política e as novas delações da Odebrecht atingindo o núcleo duro do governo – inclusive o presidente Michel Temer -, assessores do peemedebista no Palácio do Planalto já avaliam que se ele não for capaz de manter a base aliada no Congresso, corre o risco de cair. Segundo a Folha de S.Paulo, uma reforma ministerial é considerada como alternativa para acomodar aliados em cargos importantes e garantir a sustentação para Temer seguir na presidência.

Neste ambiente, já começam a circular em Brasília nomes para substituir o peemedebista, caso ele não termine o mandato em 2018. Um dos mais cotados é o de Nelson Jobim, por seu currículo extenso e cargos relevantes que ocupou nos três Poderes da República. A informação é da colunista Mônica Bergamo.

No Legislativo, Jobim foi deputado federal de 1987 a 1991. No Executivo, foi ministro da Justiça de Fernando Henrique Cardoso, de 1995 a 1997, e ministro da Defesa de Lula e de Dilma, de 2007 a 2011. No Judiciário, ingressou como ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) em 1997 e se tornou presidente da Corte em 2004, cargo que ocupou até 2006.

Aprenda a investir na bolsa

O entendimento é que o currículo de Jobim lhe garantiria uma bom trânsito no Congresso, no Judiciário e entre os militares. Outro ponto é que ele é visto como alguém capaz de “endurecer” caso os protestos se agravem e ameacem sair do controle.

Outro nome ventilado é o de Fernando Henrique Cardoso. O ex-presidente, no entanto, negou que tenha a intenção de voltar ao Palácio do Planalto. Leia mais informações aqui.