Lava Jato

Ex-diretor da Odebrecht tinha linha de celular exclusiva para falar com Youssef

Executivo que já viajou com Lula teria sido o comandante do pagamento de propinas da empreiteira ao doleiro

SÃO PAULO – Alexandrino Alencar, executivo da Odebrecht que se demitiu para cuidar da sua defesa na Operação Lava Jato, usava uma linha de celular exclusiva para falar com o doleiro Alberto Youssef, segundo informações do jornal O Globo. Alexandrino teria sido o comandante do pagamento de propinas da empreiteira ao doleiro. 

O funcionário de Youssef, Rafael Ângulo, contou ao Ministério Público Federal o papel de Alencar no esquema de corrupção. Foi por conta deste depoimento que a Polícia Federal decidiu decretar a prisão do executivo nesta quarta. 

De acordo com Ângulo, o executivo da Odebrecht tinha uma linha de celular exclusiva para falar com Youssef. O funcionário teria levado quatro ou cinco telefones celulares diferentes a Alencar durante dois anos. Nos aparelhos havia apenas um número registrado na agenda, em nome de “Primo”, que é o codinome do doleiro Youssef para as operações ilícitas. 

PUBLICIDADE

Alexandrino Alencar negou ter relações com Youssef e Ângulo, com quem ele alega ter se encontrado apenas quatro vezes. Segundo ele, o funcionário do doleiro lhe trazia documentos do deputado José Janene (PP), já falecido, e o currículo da filha em uma determinada oportunidade. As conversas com Janene se deram quando o deputado presidia a Comissão de Minas e Energia da Câmara. 

O executivo da Odebrecht também foi vice-presidente da empresa petroquímica Braskem, controlada pelo grupo da construtora. Ele acompanhou o ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva em uma viagem que passou por Cuba, República Dominicana e Estados Unidos. A viagem foi paga pela Odebrecht e não tinha relações oficiais com as atividades da empresa nestes países segundo o Globo.