Corrupção

Ex-diretor da Dersa estuda fazer delação premiada e contar irregularidades dos governos Serra e Alckmin, diz jornal

Revelações teriam relação com irregularidades no setor rodoviário em São Paulo

SÃO PAULO – O ex-diretor da Dersa, a empresa do estado de São Paulo responsável por investimentos em rodovias, Paulo Vieira de Souza foi aconselhado por um grupo de advogados a propor uma delação premiada e contar o que sabe sobre irregularidades cometidas durante os governos dos tucanos Geraldo Alckmin e José Serra. 

Paulo Preto, como é conhecido, foi citado por delatores da Odebrecht na Lava Jato e, segundo a coluna Painel, da Folha de S.Paulo, passou por mais de duas horas reunidos com criminalistas nesta quarta-feira (8). A orientação é que ele deve revelar o que sabe antes de o conteúdo das delações dos executivos e ex-funcionários da Odebrecht virem a público. 

De acordo com o jornal, o objetivo de agilizar uma eventual colaboração premiada com as autoridades seria o de valorizar as informações que ele sabe e tentar um acordo mais vantajoso.

PUBLICIDADE