#VoltaFHC?

Ex-deputado tucano lança campanha por FHC na presidência

Chefe de gabinete do tucano durante o governo federal, Xico Graziano criou uma página no Facebook e um site chamados "FHC presidente"

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – A disputa dentro do PSDB está cada vez mais forte para a candidatura à presidência em 2018. O embate está mais deflagrado entre o governador paulista Geraldo Alckmin e o senador mineiro Aécio Neves, com o primeiro ganhando forças após o pleito municipal de outubro. Além disso, em entrevista ao jornal O Globo na véspera, o governador de Goiás Marconi Perillo afirmou que pode participar das prévias para 2018. 

Contudo, dentro do partido, há quem defenda um nome bastante antigo – e conhecido – para a presidência. O ex-deputado federal Xico Graziano defendeu que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso seja candidato à presidência em 2018. Chefe de gabinete do tucano durante o governo federal, Graziano criou uma página no Facebook e um site chamados “FHC presidente”. 

Nesta quinta-feira, ele ainda defendeu o lançamento da campanha em artigo de opinião para o jornal Folha de S. Paulo. “Qual liderança poderá recolocar o Brasil nos trilhos do desenvolvimento? Como fazer a reforma política tão desejada? Quem conseguirá estabelecer conexão com a sociedade organizada nas redes? É o que todos querem saber. Creio que somente o ex-presidente FHC se legitima, pela vasta experiência, sensatez e sabedoria, para nos conduzir nessa difícil travessia”, diz ele no artigo.

PUBLICIDADE

Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, Xico Graziano, que também atua como assessor de FHC, disse que avisou o ex-presidente sobre a campanha, mas que não se expressa em nome do tucano. 

Ao ser questionado se a idade não seria um impedimento, uma vez que FHC tem 85 anos, Graziano afirmou que que o ex-primeiro ministro britânico Winston Churchill também voltou ao cenário político em 1951, aos 76 anos. “O ex-presidente é sempre procurado nos momentos difíceis, seja por ministros, magistrados ou políticos de todos os partidos. FHC passou a ser um ponto de equilíbrio.”

O nome de FHC também é citado no PSDB como uma opção de consenso para disputar a Presidência caso o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) casse a chapa Dilma-Temer e, desta forma, seja convocada um nova eleição presidencial.