AO VIVO Renda extra imobiliária: Como montar uma carteira vencedora de FIIs; assista

Renda extra imobiliária: Como montar uma carteira vencedora de FIIs; assista

EUA: senador Dodd irá detalhar proposta de regulação do setor financeiro

Medidas serão anunciada sem o apoio do partido republicano; projeto terá de superar obstrução republicana no Senado

SÃO PAULO – O senador democrata de Connecticut e presidente do Comitê de Bancos do Senado, Chris Dodd, agendou para esta segunda-feira (15) conferência com a imprensa para detalhar sua proposta de reforma do setor financeiro, encerrando assim suas negociações para um acordo bipartidário. 

”Estou esperançoso de que meus colegas republicanos irão apreciar e respeitar a quantidade de trabalho que foi despendida nisso”, disparou Dodd. “Eu não acho que eles querem ser vistos como os que tornam impossível para nós fazer o nosso trabalho sobre estas questões de importância crítica”.

Republicanos 85% a 90% alinhados
Horas após o anúncio de Dodd, o senador republicano do Alabama, Richard Shelby, afirmou que os membros de seu partido irão concordar com os democratas em “85% a 90%”. 

PUBLICIDADE

No entanto, Shelby avalia como precipitada a atitude de Dodd. “Prosseguir com o cuidado é mais importante do que agir com pressa, especialmente em algo desta magnitude e complexidade”.

Proposta de Dodd
As medidas de Dodd possuem como objetivo a prevenção de uma possível crise financeira, tal qual a ocorrida em outubro de 2008. 

De acordo com notícias veiculada na mídia dos EUA, o plano do democrata é conceder ao Federal Reserve poderes para regular as grandes instituições financeiras, limitando o risco tomado por estas, ou mesmo banindo algumas modalidades de negócios e investimentos -tidas como sendo de risco elevado. 

Além disso, haveria a criação de um conselho regulatório para monitorar a saúde do sistema financeiro, enquanto uma agência de proteção ao consumidor faria a regulação dos serviços financeiros ofertados. 

Finalmente, o plano prevê a criação de um polêmico mecanismo para fechar qualquer instituição insolvente que ponha em risco o sistema como um todo – evitando assim a manutenção de companhias conhecidas como “muito grandes para quebrar”. 

Obstáculos
As medidas enfrentam muitos obstáculos, incluindo os votos em seu comitê para superar uma obstrução republicana no Senado, e, se chegar a esse ponto, deverá travar negociações com as contrapartes na Câmara para resolver suas diferenças. 

PUBLICIDADE

O Comitê de Bancos do Senado deve votar as propostas emitidas por seu presidente já na próxima semana.