EUA: comitê do Senado está próximo de acordo para reformar setor financeiro

Discussão da última quarta-feira foi a melhor que já ocorreu, avalia Corker, para quem a aprovação do projeto "está muito perto"

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O Comitê Bancário do Senado norte-americano está mais próximo do que nunca de um acordo acerca do projeto de lei para reformar o setor financeiro.

Segundo o senador republicano Bob Corker, os dois partidos do país estão negociando agora de maneira “mais confortável”, afirmando que a aprovação “está muito perto”. “Três de março foi o melhor dia que já tivemos no processo”, afirmou, após reunião ocorrida entre republicanos e democratas.

Tema de embates
No encontro em questão, fontes informaram a rede CNBC que os senadores republicanos propuseram ao presidente democrata do comitê, o senador Chris Dodd – com quem Corker vem trabalhando -, uma versão revisada do tema de maior polêmica da reforma, que tange à agencia de proteção financeira do consumidor.

Aprenda a investir na bolsa

Sob esse plano, a agência teria poder normativo, mas não de exame e de execução, que haviam sido incluídos em uma recente proposta de Dodd, a qual Corker e Shelby rejeitaram na semana passada.

O tema é o de maior discussão entre os partidos, uma vez que democratas desejam uma agência detentora de maiores poderes, enquanto os republicanos sublinham que tal estrutura poderia colidir com outras agências já existentes, ansiando por poderes mais limitados e a manutenção da agência fora dos poderes do Tesouro.

Julgamento de Dodd
A nova proposta republicana será agora avaliada por Dodd. Sua porta-voz, Kirstin Brost, anunciou que o senador “julgará as propostas com base se a agência fornece ou não proteção do consumidor com a independência e autoridade suficientes para resguardar os consumidores.”