EUA anunciam parceria com países europeus para impor sanções à Líbia

Obama também irá se reunir com o secretário-geral da ONU para discutir novas maneiras de pressionar o ditador líbio

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A Casa Branca anunciou nesta sexta-feira (25) que os Estados Unidos estão desenvolvendo planos para impor sanções à Líbia, com objetivo de punir a violência instaurada pelo ditador Muammar Khaddafi, que vem reprimindo quaisquer manifestações que pedem o fim de seus mais de 40 anos no poder.

Jay Carney, porta-voz de Barack Obama, anunciou que o processo será finalizado ainda nesta sexta-feira. Além disso, Carney frisou que o plano está sendo articulado em parceria com a UE (União Europeia), que confirmou a iniciativa. Os países europeus irão embargar o comércio de armas, proibirão a viagem de autoridade líbias à Europa e o congelarão o fluxo de bens entre Líbia e UE.

O consenso sobre as sanções ocorreu após uma reunião de embaixadores dos 27 estados membros da UE. Porém, a decisão somente será adotada na semana que vem, já que os termos legais ainda não foram finalizados.

Aprenda a investir na bolsa

EUA pressionam ditador
Como forma de pressionar o chefe do estado líbio, Barack Obama irá se reunir com o secretário-geral da ONU (Organização das Nações Unidas) em Washington na próxima segunda-feira (28) para buscar formas de acabar com a repressão, ressaltou Jay Carney.