Exclusivo

“Eu vou tirar a Petrobras das mãos deste grupo político criminoso”, afirmou Aécio

O presidenciável, Aécio Neves, concedeu entrevista ao InfoMoney em evento em Osasco, no último sábado (28)

SÃO PAULO – O candidato à presidência da República pelo PSDB, Aécio Neves, afirmou em entrevista ao InfoMoney, no último sábado (27), em um evento em Osasco, que, se eleito, irá tirar a Petrobras das mãos de um grupo político criminoso.

O presidenciável disse ser a favor da privatização de setores que não são de responsabilidade do Estado e necessitam de capital privado, mas que esse não é o caso da Petrobras, afinal, ela é uma empresa absolutamente estratégica e que pode ser um instrumento extremamente valioso para que o Brasil retome um ritmo de crescimento minimamente razoável. “Se não fosse a privatização do setor de telefonia, ele seria caótico até hoje, na idade da pedra. E isso vale para o setor de siderurgia e para a Embraer. No entanto, a Petrobras é absolutamente essencial ao crescimento do Brasil, na indução da nossa política econômica e na atração de parceiros para que nós possamos ter um ritmo de crescimento interno maior”, afirmou.

Aécio disse que, apesar de o PT “espalhar o terrorismo de forma irresponsável”, a Petrobras nunca esteve no radar de privatizações do PSDB. “Quando eu usei a expressão reestatizar a Petrobras, o que eu quis dizer, na verdade, é que eu vou tira-la das mãos de um grupo político que se apoderou da maior empresa pública brasileira para fazer negócios. E quem diz isso não é o presidente do maior partido de oposição e candidato à presidência da República, quem diz isso é a polícia Federal, que afirma que uma organização criminosa se instalou no seio de nossa maior empresa”, explicou.

PUBLICIDADE

O ex-diretor da companhia, Paulo Roberto Costa, indicado pelo atual governo, anunciou semanas atrás que a Petrobras serve a interesses menores de manutenção de uma base de apoio distribuindo propina e que um alto integrante da campanha da candidata Dilma, em 2010, buscou recursos deste esquema ilícito de financiamento da campanha da presidente.

Aécio Neves afirmou ainda que irá profissionalizar o estado brasileiro, acabar com metade dos ministérios e colocar gente qualificada para gerir o estado. “O Estado não tem que ser ineficiente apenas por ser público, ele pode sim ter metas, gente qualificada para apresentar resultados na saúde, na educação, na segurança… E a Petrobras pode voltar a ser um instrumento extremamente valioso para que o Brasil retome um ritmo de crescimento minimamente razoável. Não é aceitável que um país das dimensões do Brasil seja o lanterna na nossa região, até porque a Petrobras se transformou em um instrumento de política econômica, para ajudar a controlar a inflação”, disse. “Portanto, a Petrobras será profissionalizada, deixará de atender aos interesses de um grupo político, para começar a atender aos interesses de todos os brasileiros”, finalizou Aécio Neves.