RADAR INFOMONEY Petrobras (PETR4): de onde vem tanto otimismo do mercado, mesmo com ameaça de greve de caminhoneiros e risco político?

Petrobras (PETR4): de onde vem tanto otimismo do mercado, mesmo com ameaça de greve de caminhoneiros e risco político?

Sem rancor

“Eu não represento o PT”, diz Dilma sobre resolução do partido que ataca Aécio

"Eu represento a Presidência. A opinião do PT é a opinião do partido, não me influencia. Eu represento o país, não sou presidente do PT", afirmou a presidente em entrevista

SÃO PAULO – Após a polêmica resolução partidária do PT divulgada nesta semana, que atacou Aécio Neves (PSDB) de forma contundente, Dilma Rousseff negou em entrevista que apoie a posição do partido. 

No documento, disponibilizado no site oficial da legenda, além de afirmar que Aécio representa o “retrocesso neoliberal”, o PT atribuiu ao senador a prática das piores práticas políticas, entre elas, “o machismo, o racismo, o preconceito, o ódio, a intolerância e a nostalgia da ditadura militar”.

Sobre o assunto, Dilma afirmou: “eu não represento o PT.  Eu represento a Presidência. A opinião do PT é a opinião do partido, não me influencia. Eu represento o país, não sou presidente do PT, sou presidente dos brasileiros”, afirmou, de acordo com informações da Folha de S. Paulo

Vale ressaltar que ontem, em discurso no Senado, Aécio disse que o PT, ao fazer essas acusações, acusa também 51 milhões de brasileiros que votaram nele. “A nossa campanha defendeu limites da ética: nós somos brasileiros de diversas matrizes ideológicas que se juntaram no mesmo projeto porque esse era o melhor projeto melhor para o País”, ressaltou. 

Para Dilma, a queixa do PT é partidária. “É deles, é típico”, falando ainda que a oposição também é acusada da mesma agressividade.