Protestos

Estudantes organizam “barulhaço” contra Cunha hoje; evento tem 58 mil confirmados

Os criadores do protesto são o estudante de direito Rodrigo Veloso, de 23 anos, e os alunos de ciências sociais Gopala Miron, de 19, Fabrício Mangue, de 21

SÃO PAULO – Mal havia sido confirmado um pronunciamento do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB) na televisão e rádio e a internet já se mobilizou para realizar um protesto contra ele. Três estudantes universitários criaram um evento no Facebook para realizar um “barulhaço” contra Cunha durante sua fala, que ocorre hoje entre 20h25 e 20h30 (horário de Brasília). Até às 14h já eram 58 mil pessoas confirmadas.

“Durante estes 5 minutos, TODXS estão convidados a fazer barulho contra impunidade nos 23 processos em que Eduardo Cunha é réu por corrupção; Contra redução da maioridade penal como prioridade no combate a violência; Contra o atropelo do regimento Legislativo; Contra o financiamento empresarial de campanhas; Contra o fundamentalismo religioso; Contra o machismo; Contra Homofobia; Contra a sabotagem da democracia”, diz a descrição do evento.

Os criadores do protesto são o estudante de direito Rodrigo Veloso, de 23 anos, e os alunos de ciências sociais Gopala Miron, de 19, Fabrício Mangue, de 21. Em entrevista para a BBC Brasil, eles afirmaram que têm como alvos os líderes do Congresso – e lembram o discurso dos apoiadores do partido espanhol Podemos e do grego Syriza, que hoje administra a maior crise econômica da história da Grécia.

PUBLICIDADE

A manifestação lembra o que ocorreu nos recentes pronunciamentos da presidente Dilma Rousseff (PT) quando pessoas bateram panelas nas janelas de suas casas. Desta vez, porém, os organizadores pedem que as pessoas usem “apito, lata, panela, tambor, guitarra, grito…” para protestar.

O pronunciamento já estava marcado desde o início da semana, mas ganha ainda mais destaque após os eventos de ontem e hoje, com a fala do lobista Julio Camargo, que afirmou que Cunha pediu US$ 5 milhões de propina. Com este novo escândalo, o presidente da Câmara anunciou hoje que está rompendo com o governo e que agora fará parte da oposição.