EXPERT XP 2020 Leandro Karnal discute a sociedade brasileira e seu futuro; acompanhe ao vivo

Leandro Karnal discute a sociedade brasileira e seu futuro; acompanhe ao vivo

Segundo jornal

Estadão: Petrobras destrói gravações do Conselho; dentre elas, sobre obras da Lava Jato

Em resposta ao jornal, a companhia disse que áudios e vídeos com os diálogos dos conselheiros são “eliminados” após formalizadas as atas dos encontros

SÃO PAULO – A Petrobras (PETR3;PETR4) destruiu gravações das reuniões do seu Conselho de Administração, entre elas as que trataram de negócios investigados na Operação Lava Jato, segundo informações do jornal O Estado de S. Paulo. 

Conforme destaca o jornal, a destruição das gravações torna mais difícil saber, em detalhes, como se deram as discussões dos conselheiros ao aprovar os investimentos da petroleira. Além disso, informa o Estadão, a destruição das gravações compromete a investigação de eventuais irregularidades cometidas por eles no exercício das funções. 

Em resposta a pedidos do O Estado de S. Paulo, feitos por meio da Lei de Acesso à Informação, a companhia disse que áudios e vídeos com os diálogos dos conselheiros são “eliminados” após formalizadas as atas dos encontros.

PUBLICIDADE

E, nos registros supostamente apagados, constavam as participações da presidente Dilma Rousseff, que chefiou o Conselho de 2003 a 2010.

As atas das reuniões registram os assuntos debatidos, mas não de forma integral e, por isso, a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Petrobras e o TCU (Tribunal de Contas da União) cobram informações sobre o paradeiro das gravações. A Petrobras, segundo o Estadão, vem protelando as respostas. A CPI deu até segunda-feira como prazo a entrega dos registros existentes dos encontros, sob pena de requerer uma busca da Polícia Federal na sede da companhia.