Autonomia do BC

“Está falando a Dilma das eleições e não a Dilma das convicções”, alfineta Marina

A presidenciável do PSB pontuou que Dilma defendeu a autonomia da autoridade monetária na corrida presidenciável de 2010 e que agora condena a medida

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO/RIO DE JANEIRO – A autonomia do Banco Central voltou a ser tema no debate, como já era esperado. E pautou o primeiro embate direto entre Dilma Rousseff, do PT, e Marina Silva, do PSB. A ex-senadora questionou a petista sobre o papel do banco central e lembrou que a presidente defendeu a autonomia da autoridade monetária na corrida presidenciável de 2010 e que agora condena a medida.

“A senhora está fazendo uma série de acusações sobre a autonomia do Banco Central, que a senhora defendeu em 2010. Qual Dilma está falando agora?”, perguntou a candidata pessebista.

Em sua resposta, a petista disse que Marina está deliberadamente defendendo autonomia com independência. “Independentes só são os poderes. Independência do Banco Central é dar um quarto poder aos bancos. Sempre me acusam de não respeitar as autonomias. Ela tem que ser uma opção que os governos fazem em relação a uma política de combate à inflação”, contestou Dilma, acrescentando que a ex-senadora deveria ler o que escreveram no programa de governo do PSB.

Aprenda a investir na bolsa

Ligeiramente irritada, Marina alfinetou: “Está falando a Dilma das eleições e não a Dilma das convicções. Por não ter sido nem vereadora e ter sido presidente da República, você confunde os poderes”.

Dilma voltou a dizer que a ex-senadora deveria ler o que está no programa de governo de sua candidatura. “Informo à candidata que a inflação está sob controle”, explicou Dilma. “Quer dizer então, candidata, que quem não fez a carreira não pode ser presidenta?”, concluiu Dilma.