Em evento

“Esse impeachment é uma tentativa de eleição indireta por quem não tem voto”, diz Dilma

Presidente criticou argumentos para impeachment e adotou postura mais enfática contra Eduardo Cunha

SÃO PAULO – Em participação de cerimônia de entrega de 2.800 unidades habitacionais do programa Minha Casa Minha Vida em Salvador (BA), a presidente Dilma Rousseff voltou a criticar o que chama de golpe contra um mandato legitimamente eleito e contra a democracia em referência ao processo de impeachment que tramita contra seu mandato no Congresso Nacional.

“Eles falam que o impeachment é previsto na Constituição. Ele é previsto. Mas esquecem de dizer que é permitido impeachment quando há crime de responsabilidade. Acontece que não cometi nenhum crime de responsabilidade. Eu digo isso porque insistem em dizer que não é golpe, ficam muito incomodados quando dizemos que é golpe”, afirmou a presidente durante seu discurso.

No pronunciamento, Dilma criticou o que acredita ser falta de justificativa para o processo de impeachment e adotou postura mais enfática contra o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), um dos principais adversários do governo e nomes importantes para que o processo fosse aprovado pelo plenário da casa, em 17 de abril, e enviado ao Senado. “[A criminalização das “pedaladas fiscais” apenas em 2014 e 2015] significa dois pesos e duas medidas. Estou sendo vítima de uma grande injustiça”, disse.

“Como não acharam nenhum outro motivo… Aqueles que me acusam são acusados de crimes, eles têm acusações que eu não tenho. O mais estranho é que quem me julga é corrupto. Essa pessoa que é o presidente da Câmara é uma pessoa que todo mundo sabe no Brasil que tem conta no exterior”, continuou a presidente. “Esse impeachment, sem crime, na verdade, é uma tentativa de fazer uma eleição indireta por aqueles que não têm voto”.

Antes de enveredar para a questão do impeachment, a presidente defendeu a importância do Minha Casa Minha Vida e disse que, ao final de 2018, 25 milhões de brasileiros — ou seja, um a cada oito — terão sido beneficiados pelo programa, com a construção de 5,750 milhões de moradias a partir da gestão de Lula. “Um governo deve ser julgado pelo que ele foi capaz, é capaz e será capaz de fazer pelo seu povo. Meu governo teve de fato uma opção: a opção pelo MCMV, por continuar pagando Bolsa Família para quem precisa, por garantir atendimento médico para pessoas que antes não tinham atendimento pelo Mais Médicos”, argumentou Dilma.

Especiais InfoMoney:

Carteira InfoMoney rende 17% no 1º trimestre; 5 novos papéis entraram no portfólio de abril

Trader que perdeu R$ 285.000 com Telebras conta como deu a volta por cima

André Moraes diz o que gostaria de ter aprendido logo que começou na Bolsa

PUBLICIDADE