Governo Bolsonaro

Equipe de Paulo Guedes anuncia permanência Mansueto Almeida no Tesouro

O economista é secretário do Tesouro desde abril de 2018

Mansueto Almeida
Mansueto Almeida (Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Aprenda a investir na bolsa

O futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, confirmou nesta quinta-feira (15), as indicações dos economistas Roberto Campos Neto para a presidência do Banco Central e Mansueto Almeida para o cargo de secretário do Tesouro Nacional no governo de Jair Bolsonaro.

“O economista Roberto Campos Neto aceitou o convite e terá seu nome indicado ao Senado Federal para presidir o Banco Central. Com extensa experiência na área financeira, pós-graduado em economia pela Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA), Campos Neto deixa diretoria do Banco Santander, onde ingressou em 2000”, informou a assessoria de Paulo Guedes em nota.

Almeida é secretário do Tesouro desde abril de 2018 e técnico de Planejamento e Pesquisa do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada). Foi coordenador-geral de Política Monetária e Financeira na Secretaria de Política Econômica no Ministério da Fazenda, entre 1995 e 1997, assessor da Comissão de Desenvolvimento Regional e de Turismo do Senado Federal, de 2005 a 2006. De 2014 a 2016, foi consultor privado.

Aprenda a investir na bolsa

Assim que Michel Temer assumiu a Presidência da República, em maio de 2016, Mansueto Almeida ocupou a Seae (Secretaria de Acompanhamento Econômico) do Ministério da Fazenda. Posteriormente, a Seae foi desmembrada, e Almeida comandou a Secretaria de Acompanhamento Fiscal, Energia e Loteria (Sefel). Quando o ministro Henrique Meirelles deixou a Fazenda para disputar as eleições presidenciais, Almeida passou a chefiar o Tesouro Nacional. Mestre em economia pela Universidade de São Paulo, Almeida começou a cursar doutorado no Massachusetts Institute of Technology (MIT).

(Agência Brasil e Agência Estado)